Reduzir o impacto ambiental da sua piscina!

Como poupar energia, água e produtos químicos?



Piscina e o seu desenvolvimento sustentável.

É hora de economizar energia!  As questões ecológicas têm feito o seu caminho e nós queremos saber mais e mais sobre o impacto ambiental do nosso estilo de vida. O consumo de energia tornou-se um argumento importante na venda (eletrodomésticos, veículos, habitação, …). Por isso, é natural perguntar qual é o impacto do consumo de energia da sua piscina actual ou da sua piscina a construir.

Quais são as acções possíveis para reduzir o consumo de energia na sua piscina? Como evitar as perdas de energia? Como não desperdiçar água? O que saber quando se vai construir uma piscina? Como escolher o seu equipamento da piscina para economizar energia/dinheiro? Como evitar o uso excessivo dos produtos químicos na piscina? Como reduzir o impacto ambiental?

Existem 3 tipos de consumo diferentes numa piscina:
  1. Consumo de energia elétrica (bomba da piscina, aquecimento, iluminação, aparelhos de tratamento automático)
  2. Consumo de água (água para a contra lavagem do filtro, evaporação, banhos)
  3. Produtos químicos consumidos (cloro, corrector pH, algicida, floculante, …)
1 – Construção de piscinas e a economia de energia

Se ainda não construiu a sua piscina, deixamos-lhe aqui algumas sugestões:

1. Questione-se sobre:
  • O tamanho pretendido (qual a área do plano de água)
  • O volume de água da sua piscina.
  • Deverá responder a esta questão: Qual é a minha verdadeira necessidade em termos de tamanho?
2. Do volume escolhido de água da piscina vai depender o custo da construção e os custos operacionais:
  • Bomba de alimentação, obviamente que a bomba mais potente é a que consome mais energia elétrica
  • Consumo de Produtos de Quimicos
  • O uso de aparelhos de tratamento automático (Electrólise de Sal, Ionização, Regulador de pH, Redox, UV)
  • Consumo eléctrico no aquecimento se existir

Para o cálculo do volume de água, é muito importante atender à largura da piscina porque tem um efeito decisivo.
Como exemplo: Uma piscina de 10 x 4 m tem um volume de 55 m3. Uma piscina de 10 x 5 m tem um volume de  75 m3, ou seja 20 m3 mais!

Se o objectivo é usar a sua piscina principalmente para a prática da natação, saiba que um nadador precisa de 2 metros de largura (quatro metros são suficientes para dois nadadores se cruzarem).


Qual o impacto da forma da piscina sobre o consumo de energia ?

A forma da piscina pode afectar o consumo de energia. Uma piscina com um formato simples (retângular ou oval), permite que a água circule melhor na piscina, não havendo necessidade para aumentar o dimensionamento de equipamentos e o desempenho do sistema de filtração.

Qual o impacto do circuito hidráulico sobre o consumo de energia ?

Durante a construção da piscina dever-se-á minimizar as perdas de pressão no circuito hidráulico. Na verdade, estas perdas provocam um fluxo de água mais lento.
Graças a um circuito hidráulico optimizado é possível obter um ganho de cerca de 40% no consumo de energia.

Para isso, deixamos aqui algumas sugestões importantes:
  • Reduzir o comprimento dos tubos, quanto mais pequeno o circuito hidráulico menores as perdas de pressão e consequentemente menores consumos de energia
  • Aumentar o diâmetro dos tubos, sobredimensione o diâmetro (o seu custo adicional é completamente desprezável)
  • Utilize preferencialmente cotovelos a 45°em vez de 90° (geram maiores perdas)
  • Utilize preferencialmente tubos rígidos em vez de tubos tubos semi-rígidos ou flexíveis (maior atrito)
  • Preste atenção à posição do filtro e da bomba em relação ao nível da água (bomba muito abaixo do nível de água da piscina irá criar mais pressão – maior gasto de energia)
 O consumo de energia da bomba da piscina

A bomba da piscina representa 90% do consumo de electricidade de uma piscina (piscina sem aquecimento). Para um consumo óptimo de energia a bomba deverá estar bem dimensionada ao volume de água da piscina.

Quando se escolhe uma bomba, deve-se escolhê-la em função do seu caudal e não da potência eléctrica. Na realidade, e para uma mesma potência, existem caudais diferentes

Podemos mesmo afirmar que o caudal é o que nos interessa e a potência é que vamos pagar.
O caudal define-se está em m3/h e a potência em CV, sabendo 1 CV = 0.739 kilowatts
Em baixo apresentamos uma tabela que mostra as diferentes potências de bombas, e os respectivos caudais. Podemos verificar que apesar das potências serem semelhantes, ou seus caudais variam muito.

 Potência (CV) Potência (kW) Caudal (m3/h)
1/2 0.37 7 à 9
3/4 0.55 9 à 15
1 0.75 12 à 21
1,5 1.1 14 à 27
2 1.5 19 à 31
Bombas de velocidade variável:

Para reduzir significativamente o consumo de energia da bomba da piscina, apareceram recentemente as bombas de velocidade variável. Foram concebidas para trabalhar em diferentes regimes (com caudais e consumos energéticos diferentes) em função das necessidades.

É preciso ter cuidado com as boas falsas ideias para reduzir o seu consumo de energia, como por exemplo reduzir o tempo de filtração.

Deve-se saber que o tempo de filtração depende de vários factores:

  • principalmente a temperatura da água,
  • a utilização da piscina (carga orgânica),
  • a poluição do ambiente,
  • o método de tratamento da piscina

Querermos reduzir o tempo de filtração a partir do tempo de filtração ideal, é correr o risco de ficarmos com uma água mais tarde ou mais cedo verde … E isso faz-nos aumentar o consumo de produtos químicos e o tempo de filtração.

 Filtrar à noite para economizar electricidade

Existe também a tentação de colocar a piscina a funcionar à noite porque a energia é mais barata. No entanto é durante o dia e através da fotossíntese que se dá o crescimento das algas. Quanto mais calor e maior exposição solar, maior o desenvolvimento das algas.

Para além disto e se quisermos manter a temperatura da água, não deveremos agitá-la durante a noite porque irá perder rapidamente mais temperatura.

Como situação de compromisso costumamos aconselhar (no verão) que se coloque a piscina a circular pelo menos 4 horas durante o período de maior calor (11h-15h) e as restantes horas de filtração serão feitas à noite.

A escolha do filtro da piscina é também essencial para um desempenho excelente.

Um filtro subdimensionado é um problema constante que custa muito dinheiro! Na verdade, um filtro subdimensionado tem que ser lavado com muita frequência, e em cada operação de lavagem existe um consumo intensivo de água.
É sempre melhor sobredimensionar o seu filtro. Escolha um filtro com um diâmetro maior. Irá aumentar a sua capacidade de filtração.

Por exemplo, se passarmos de um filtro de 610 mm de diâmetro para um filtro com um diâmetro de 760 mm:

  • Há um ganho de superfície de filtragem de 55%
  • Há uma diminuição na velocidade de filtração de 37% (a água passa mais lentamente através do filtro, o que melhora a filtração)

Outro ponto muito importante: Limpe o filtro regularmente fazendo as contra lavagens indicadas no seu filtro de areia.

Um filtro sujo origina perdas significativas fazendo subir a pressão no sistema e a bomba tem que aumentar a sua velocidade. Ao aumentar a velocidade a bomba vai consumir mais electricidade.

Recomenda-se fazer contra lavagens semanais (1 a 2 minutos backwash seguidas de 30 segundos de enxaguamento)

Assim, a sua piscina ficará mais limpa, consumindo menos energia elétrica e … não terá o cheiro do cloro!

O consumo de energia da iluminação da piscina

Tradicionalmente, os projetores de piscina eram equipados com lâmpadas de 300 W incandescentes.

Hoje em dia os projectores de Led’s já são uma constante do mercado.

Este é provavelmente o gesto mais simples para reduzir os custos de energia.

Vantagens:

  • Tempo de vida, o seu tempo de vida é de 100.000 h contra os 20.000 h de uma lâmpada tradicional
  • O consumo de um projector de Leds < 30 Watts, contra consumo projector tradicional = 300 Watts
  • Os Led’s permitem ser coloridos e fazer diversos efeitos de iluminação.
A cobertura da piscina para reduzir o consumo de energia

A perda de água por evaporação é um dos principais factores de desperdício de energia e água numa piscina.

94% das perdas de calor de uma piscina são feitas através da superfície da água, razão pela qual precisamos de falar das coberturas de piscina.

Exemplo real para se perceber melhor o tema da evaporação:

Piscina tem uma temperatura da água de 25 °C + Vento de 7,2 km/h + Uma humidade relativa de 50%

Se a temperatura do ar exterior for de 32 °C: A piscina perde 3,8 mm de água por dia.
Se a temperatura do ar for de 16 °C: A piscina perde 10 mm de água por dia
É por isso que é à noite que se intensifica o fenômeno da evaporação.

Se a sua piscina tem um sistema de aquecimento é quase um “crime” não ter uma cobertura. O objectivo é manter o máximo possível a temperatura da água.

Aquecer uma piscina sem cobertura é como usar um frigorífico sem porta.
Para além disso,  o facto de termos uma cobertura reduz muito o consumo de produtos químicos, reduzindo também a necessidade de mais horas de filtração.

A cobertura de verão (Solar) de bolhas, é muito usada porque é muito prática e barata. Permite manter a temperatura durante a noite. Durante o dia, se a piscina for utilizada, deverá ser retirada.

O consumo de energia no aquecimento da piscina

O aquecimento da piscina é um elemento de conforto nos banhos. Antigamente era um luxo, hoje em dia uma grande percentagem de clientes quando constrói uma piscina integra logo um sistema de aquecimento.

Naturalmente que quanto mais quente se pretende ter a água, mais energia será gasta. Cada degrau ºC suplementar custa entre 5 a 10 % a mais de energia.

Entre as diferentes alternativas de aquecimento, a bomba de calor está a passar por um grande desenvolvimento técnico. Apesar do seu investimento inicial significativo oferece um desempenho excepcional,  para 1kW eléctrico consumido pelo compressor, a bomba de calor consegue oferecer entre 4 e 5 kW térmicos para a piscina.

Como alternativa mais ecológica de aquecimento também existe o aquecimento solar, que obriga a um investimento inicial maior do que a bomba de calor, mas que depois tem a vantagem de ser totalmente gratuito. Esta instalação obriga a ter uma área grande ocupada com painéis virada a sul. Contrariamente à bomba de calor, esta solução solar não nos consegue garantir uma determinada temperatura, apenas consegue aumentar a temperatura da água.


Reduzir o consumo de produtos químicos no tratamento da piscina

Ter um sistema hidráulico bem dimensionado resolve uma grande parte dos problemas com a água da piscina. O filtro e a bomba são o “coração” do sistema de tratamento.

Como já vimos, também é muito importante o período onde pretendemos ter a água a circular. Nunca o deveremos fazer só à noite.

A utilização de um sistema de tratamento automático Hidrion (Ionização ou Electrólise Sal e uma bomba doseadora de pH) permitem reduzir drasticamente o consumo de produtos químicos assim como a sua manipulação.

Um dos parâmetros mais importantes a ter sempre controlado é o pH, o pH tem um efeito sobre todos os produtos que se colocam na água.

Por exemplo:

  • Cloro / pH: O cloro é 60% activo com um pH de 7,2 – 7,4. Mas se o pH sobe para 8, este cloro passa a ser apenas 15 a 20 % activo, logo obriga a ter um consumo 3 x maior para a mesma eficácia de tratamento.
  • Algicida / pH: As algas crescem em águas com pH elevado (> 7.6), e em seguida, proliferam-se muito rapidamente.
  • Floculante / pH: Os floculantes são muito menos eficazes quando o pH aumenta.

Deste modo o controle do pH é essencial e vai poupar-lhe muito dinheiro no longo prazo.

Recomendamos que o pH esteja entre os 7,0 e 7,4.
Tenha atenção também ao ácido cianúrico (estabilizador do cloro), que evita que o cloro seja destruído pela acção dos raios UV do sol. Uma concentração demasiado alta vai destruir a eficácia do cloro.

Recomendamos que este valor nunca ultrapasse os 50 ppm.
Para melhorar o desempenho do seu filtro de areia recomendamos que utilize um floculante.

Como último conselho pedimos-lhe que preste atenção aos produtos que compra … Tenha cuidado com produtos muito baratos porque a sua qualidade/eficácia normalmente é muito duvidosa.

Pode fazer um teste e colocar uma pastilha num skimmer e verificar a sua durabilidade comparando com outros produtos de marca.

Somos especialistas em manutenção de piscinas!

Com Hidrion não só trata a água da piscina como protege a sua saúde, de um modo económico e amigo do ambiente.